Gestão contábil: o que é positivo e negativo no crescimento da sua empresa

A importância da gestão contábil no equilíbrio do ponto de convergência entre os benefícios e os riscos no crescimento da sua empresa

Estamos cansados de falar que todo empresário pensa em crescer. Entretanto, há muitos fatores que vão além do crescimento da empresa. Se fosse simples todos cresciam com um passe de mágica. Contudo, tudo possui os seus lados positivos e negativos, e com a vida empresarial não é diferente. Por isso a gestão contábil participa avidamente do contexto estratégico da empresa, para que, em uma forma de controle de equilíbrio, venha fazer o contraponto onde tudo o que pode ser benéfico no crescimento da empresa, mas todos os riscos que ela, também tem pelo caminho para correr e os recuos que ela precisa dar.
Esse artigo serve justamente para que, por meio da gestão contábil, o empresário venha, de forma prática, ter acesso a dicas para ter esse feeling.

Principais riscos

Crescer é um processo que exige muito de toda a empresa. Conviver com riscos nunca é fácil, mas é necessário que a empresa tenha essa noção. Em conjunto com a gestão contábil, a sua empresa pode, então,  se precaver desses riscos. Os principais dele, nos moldes de crescimento, são:

Perda de foco

A sua empresa nasce com um foco específico, mas na medida do seu crescimento você vai notando alguns rumos que ela tem que seguir. Essa expansão pode ocasionar que ela deixe a suas raízes. Claro, o universo empresarial é cíclico, por isso cabe à gestão contábil fazer esse balanço das coisas da cultura inicial que não podem ser abertas mão, mas o compasso dos tempos que a empresa precisa seguir.

O mundo dos negócios dilui algumas visões e nos faz decidir por prioridades nos nossos percursos. Essas situações, embora perigosas, são fundamentais para a construção do caráter da empresa.

Ônus

Os dois principais ônus quando uma empresa cresce são os fatores financeiros e de fôlego. De modo geral, as duas questões são bem delicadas para a manutenção do alto nível do projeto. Muitos podem colocar o fator financeiro a frente, até mesmo por fator e subsistência do negócio. Mas o capital sem a motivação, também não gera resultados expressivos, condizentes com a realidade de uma empresa em crescimento constante.

Cabe a gestão contábil fazer uma organização técnica em esferas, focando primeiramente dentro do que é a sua especialidade, o fator financeiro. No Brasil, os empresários sofrem com as questões tributárias e isso faz com que a sobrevivência das empresa em meio ao luro líquido e o seu capital de giro sejam muito pequenas. Independentemente disso, entrar empréstimos e demais tipos de compensações financeiras não pode ser uma opção. Empresas enroladas no fator finanças tendem uma grande montanha pra atravessar antes de crescer.

Então, cabe a gestão contábil montar estratégias de orçamento e conduzir a equipe para um processo organizacional que os motivo e os façam render.

Entre os benefícios e os riscos

Em todas as esferas da vida existem desafios, o que não é algo exclusivo do aspecto empresarial. Quando colocamos na balança, é natural que os riscos saltem aos olhos de forma muito mais forte que os benefícios. Contudo, no fim do túnel, quando vemos os resultados da empresa, nos tocamos que os riscos valeram a pena.

A gestão contábil faz com que os benefícios saltem muito mais aos olhos do que os riscos para que, quando a empresa venha arriscar, assim o faça de forma confiante.