A importância da contabilidade para os prestadores de serviço

Conheça a importância dos serviços de contabilidade para prestadores de serviços brasileiros

O artigo 1.179 do Código Civil Brasileiro obriga todas as empresa formalizadas a possuírem um contador em seu quadro de funcionários ou a vinculação com alguma empresa de contabilidade para a apresentação dos seus balanços financeiros. Essa regulamentação fez com que as empresas brasileiras parassem de deixar de lado e empurrar com a barriga a função de contador em suas empresas. Mas, se olharmos por outro lado, apenas balancetes, de certa forma obrigados, não é tudo que uma empresa de contabilidade tem a oferecer a prestadores de serviço. Serviços burocráticos, como o suporte e a simplificação do processo de documentação, operacional, se estendendo por toda vida útil da empresa, e de custo-benefício, garantindo que todos processos visarão lucros e não representarão ameaças de desperdício financeiros, são questões fundamentais a ser abordadas a contabilidade.

Nesse artigo, falaremos alguns pontos de importância da contabilidade a prestadores de serviço.

A primeira relação entre prestadores de serviço e contabilidade

A primeira relação entre prestadores de serviço e contabilidade está no CNPJ. Porém, alguns prestadores de serviço atuam dentro da informalidade e não possuem o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica e a sua atuação como pessoa física derruba a obrigatoriedade do suporte do contador. Porém, essa economia muitas vezes podem ser o barato que sai caro e essa negligência contábil pode embarreirar, e muito, suportes de desenvolvimento que gerarão bons retornos com poucos esforços. É aí que a relação custo-benefício vai para o buraco.

Regimes tributários

Dependendo do porte da empresa, ela pode se enquadrar no Simples Nacional (microempresa) ou, se o seu porte for maior, na definição entre Lucro Real e Lucro Presumido, que alterará apenas na questão de arrecadação de imposto.

Com uma contabilidade dando suporte ao prestador de serviço, o tiro será dado de forma certeira, ou seja, a empresa se enquadrará ao porte tributário que mais se adequa a sua realidade, recolhendo impostos, também, na medida da sua realidade financeira. Não ter o suporte do profissional contador nesse processo é como jogar uma moeda para o alto e torcer para dar certo, o que não faz sentido quando uma contabilidade pode estar ao seu lado dando total suporte.

O que resta à contabilidade

Impostos. É isso que resta alinhavar entre contabilidade e prestadores de serviço. Você certamente já ouvir falar dessas siglaszinhas: PIS, COFINS, ISS, ICMS, IRPJ, CSLL e as suas mínimas variações não mudam o fato de que cifrões sairão da sua empresa fruto desses impostos.

Um exemplo é o ISSO, de 2 a 5%  variável entre o segmento de atuação, caberá a contabilidade arcar com a realização desse calculo e entrega dessa informação estratégica à empresa. A especialidade da contabilidade é prestar serviços de contabilidade para a sua empresa de prestação de serviço e essa relação entre as duas partes é fundamental no desenvolvimento do processo de preparação estratégica.

Por fim, convenhamos que a formalização da empresa de prestação de serviço é um passo muito importante, tanto quanto o acesso da contabilidade, agora, prescrito legalmente, mas muito maior do que determinada obrigação profissional, fazendo parte da construção estratégica da empresa.